Yoga, depressão e síndrome do pânico


O desgaste físico e mental aos quais as pessoas se submetem no dia a dia, somado ao sedentarismo, adoecem grande parte da população. Segundo a Organização Mundial de Saúde, uma em cada dez pessoas precisará de cuidados de saúde mental ao longo da vida. Diante desta realidade, a prática regular de yoga pode ajudar no tratamento dos transtornos mentais gerados, como a depressão e a síndrome do pânico.

Pessoas que sofrem de depressão e síndrome do pânico tendem a se fechar e a se isolar do mundo. No caso da síndrome do pânico, manifestam-se, nos momentos de crise, sintomas como taquicardia (coração disparado), sudorese excessiva (mãos suando, por exemplo), perda do controle sobre a situação e pensamentos e sensação de morte. A depressão impede o indivíduo de realizar suas atividades normalmente, trazendo sensação de tristeza profunda, falta de energia e de perspectiva de melhora da sua condição. Nos dois casos ocorrem sintomas como distúrbio de sono, baixa autoestima, dificuldade de concentração e ideias suicidas.

O yoga pode ser uma forma de lidar com estas condições. Através das práticas dos pranayamas (que são, basicamente, exercícios de respiração) é possível acalmar o sistema nervoso, levando à percepção e à ligação entre o corpo e a mente. Os pranayamas, como a respiração yogi, bhramari, ujjayi e nadi-sodhana ajudam a restabelecer essa ligação corpo/mente, harmonizando o corpo e acalmando o coração.

A prática regular da yoga leva ao equilíbrio do organismo, estimulando os tecidos do corpo, ativando os sistemas nervoso e endócrino e revitalizando as vísceras, processos que levam a um corpo físico mais saudável e resistente.

Os asanas, posturas físicas executadas durante a rotina de prática, ajudam na flexibilidade do corpo, no realinhamento de ossos e articulações, solucionando problemas como a compressão de vértebras, articulações e órgãos internos. Essas mudanças refletem no dia a dia do praticante, aliviando dores, realinhando a postura, fortalecendo a estrutura óssea e favorecendo o funcionamento adequado dos órgãos do corpo, o que permite, consequentemente, uma mente mais flexível e mais aberta aos acontecimentos da vida.

As posturas em pé, como tadasana (postura da montanha) e virabhadrasana II (postura do guerreiro II), permitem o realinhamento do corpo e o desenvolvimento do equilíbrio, trazendo a sensação de conexão entre o corpo ereto e o chão, o que aumenta a energia do corpo e gera confiança. As posturas de flexão para trás, como bhujangasana (postura da cobra), abrem o peito e revigoram o corpo, trazendo o sentimento de esperança para o praticante. As posturas sentadas com flexão para frente, como paschimottanasana (postura do alongamento intenso da parte posterior do corpo), acalmam o sistema nervoso. As invertidas, como salamba sirsasana (postura do apoio sobre a cabeça), estimulam as glândulas da região da cabeça e da garganta e equilibram as emoções. Já as posturas de relaxamento, como savasana (postura do cadáver), proporcionam relaxamento e permitem a total entrega.

Para os casos de depressão é recomendável começar com posturas que abrem o peito até chegar nas posturas que energizam o corpo, terminando com savasana (postura do cadáver). Já aqueles que sofrem de síndrome do pânico podem começar com posturas mais ativas até chegar nas posturas mais calmas terminando com savasana (postura do cadáver).

A prática regular da yoga para os casos tratados neste artigo mostram-se extremamente benéficas. Além da melhoria do corpo físico, como o realinhamento da postura, melhoria da respiração, da circulação e do fluxo de energia, no plano psíquico o praticante vai notar uma maior tranquilidade, equilíbrio emocional e aumento da resistência à fadiga, ajudando no tratamento do principais sintomas da depressão e síndrome do pânico. Assim, aqueles que sofrem destes transtornos mentais poderão experimentar uma vida com menores níveis de ansiedade, fobias e comportamentos neuróticos. 

Helena Iwamoto

Referências

Agências da ONU discutem como reduzir transtornos de saúde mental em crianças e adolescentes.

BRUNA, Maria Helena Varella. Depressão.

Entenda a Síndrome do Pânico e veja exercícios de Yoga que ajudam a combatê-la. 

Investimento em saúde mental cresce em ritmo insuficiente, denuncia OMS.